sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Eu li e é bom! - da semana


Texto escolhido por Silas Lima

Viver é muito bom.
Ricardo Gondim.



Viver é tão prazeroso que dá vontade de continuar, continuar. Sofro, como todo mundo, mas as minhas dores, decepções e frustrações ainda não foram fortes o suficiente para me desmotivar. Quando pareço zangado, minha veemência não nasce de amarguras, mas da inquietação espiritual de perceber que as coisas não caminham como deveriam.

Gosto de viver, ninguém se engane. Só não quero camuflar minhas dores “porque um líder religioso não pode expor suas inquietações publicamente”. Faço eco às palavras do Fernando Pessoa: “Arre, estou farto de semi-deuses!”. Quando escancarar os porões de minha alma, não desejo fazer tipo ou posar de “autêntico”. Faço “literatura tempestiva” (considero que sites e blogs como um novo tipo de literatura, a “tempestiva”) sem envernizar o texto, sem lapidar os conceitos e sem temer escrúpulos e censuras ideológicas. Sento diante do computador como terapia; quando escrevo, de certa maneira, lavo a alma, expulso falsos demônios e alvejo antigos dilemas encardidos.

Gosto de viver, só não quero acostumar-me com as desigualdades econômicas. Não aceito que um artista, atleta ou empresário ganhe mais do que uma nação inteira. Se pareço meio irritadiço é porque não acho que uma bolsa feminina custe o salário anual de um trabalhador. Uma xícara de café não pode valer mais do que um dia suado de um camponês. Por favor, não me peçam para continuar com o discurso pequeno burguês dos evangélicos brasileiros de que esses desmantelos fazem parte de um plano misterioso (maravilhoso?) de Deus que condena milhões de crianças a uma sub-existência.

Gosto de viver, só não quero satisfazer-me de chavões. Ficou provado que as minhas indagações não dizem respeito a uma multidão de crentes. Pelo contrário, eles se escandalizaram quando foram informados de minhas reflexões teológicas. Para uma montanha de teólogos, ousei mexer no que não devia; para a grande maioria dos crentes, cutuquei no vespeiro de assuntos que só deveriam nos interessar depois da morte - "Deus nos esclarecerá no céu". Mas eu comecei a ler alguns pensadores que me antecederam e senti uma enorme sintonia com suas meditações. Adorei ler a biografia da Simone Weil, os pensamentos do Abraham Heschel, as considerações do André Comte-Sponville, os conceitos pós-colonialistas do Juan Luis Segundo, a sensibilidade do Henri Nouwen; e na carona deles, comecei a pensar em voz alta. Se tais pensamentos são tão perniciosos que eu precise ser calado, lamento, porém não me intimidarei.

Gosto de viver, só não quero atrelar meu conceito de vida aos legalismos imbecis dos fariseus de plantão. Não vou deixar de apreciar a música do Chico Buarque, a literatura da Isabel Allende, a poesia do Fernando Pessoa ou o cinema do Almodóvar, porque alguns religiosos não toleram que “gente do mundo” seja inteligente e elegante na sua produção artística. Se os meus novos gostos fizeram de mim um enófilo esporádico e um poeta amador, não permitirei que me inibam com falsas culpas; sinto-me feliz.

Gosto de viver e estou disposto a degustar cada dia que me sobrar aqui na terra. Vou continuar correndo e me preparando para maratonas; vou continuar estudando ciências da religião e teologia; vou continuar lendo e citando meus autores prediletos. Não quero provocar e nem contender com ninguém, desejo, tão somente, cumprir o que o apóstolo Paulo recomendou: “Tudo o que vocês fizerem, quer comam quer bebam, façam para a glória de Deus”.



Soli Deo Gloria.



texto reportado de www.ricardogondim.com.br


quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Aprumando distorções


Silas Lima
Cristão Protestante
Temos uma mal muito comum em nossa sociedade, um mal tão fulminante que gera muitos outros males. É a distorção de idéias.

Recebemos milhares de informações e geralmente elas já chegam a nós distorcidas pelos variados meios de comunicação (ex. TV, rádio, jornal, pessoas, etc.) e quanto mais essa informação é passada aos outros a tendência é se distorcer mais e mais, lógico que no meio do caminho algumas pessoas apuram melhor e vão aprumando a história, contudo existem informações que já foram tão distorcidas ao longo dos anos que é muito difícil saber qual é a verdadeira verdade (desculpe a redundância).

O grande mal disso é que mensagens tão nobres são distorcidas a um ponto que leva milhares de pessoas a escravidão mental e ao abuso por parte dos aproveitadores. Grande prova disso é distorção milenar do Cristianismo.

Hoje em dia vemos a idéia de Cristo como uma idéia para os ricos e pra quem quer ser rico, e esquecemos que o projeto Cristão foi fundado em pessoas pobres e analfabetas que eram rejeitadas pela sociedade, mas que o mais belo nelas era a inocência e o coração puro.

A essência Cristã não é o bem próprio é o bem ao próximo e é por isso que acho que todos devem se perguntar se o que crêem é algo coerente com o bem humano.

Por isso quero dizer a você que talvez tenha ouvido muitas distorções a respeito de Cristo e desacredita dele por causa disso, a idéia Cristã é sim uma idéia nobre e cheia de valores benéficos, por isso procure conhecer essa mensagem e com certeza você encantara por ela.
Por isso que eu digo: A VIDA É BELA E A IDÉIA É BELA.

silaslima@valoresdavida.com

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Eu ouvi e é bom! - da semana

Musica escolhida por Equipe valores da vida

Quem de Nós
Rosa De Saron
Composição: Guilherme de Sá/Rogério Feltrin




Sinto dor
Ao ver que você mudou tanto
Preciso Saber o por que ?
E aprender
Que nem que falem nem que te calem
Você é muito mais do que a tempestade
Que Deus te dê coragem e ninguém mais

Quem de nós com própria voz
Vai dizer a verdade custe o que custar
Não vai mentir

Existe esperança corpo e sangue
Que há muito impõe uma chance
É só você acreditar e não temer
As horas passam e o tempo traz
De volta a integridade, matando a saudade
No coração virtudes ideais

E nem que vá embora
Eu continuarei a te esperar

valoresdavida@valoresdavida.com

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Eu li e é bom! - da semana

Texto escolhido por equipe valores da vida


Como Deus vê.
Ricardo Gondim.


Deus vê tudo, nada passa despercebido de seus olhos.
Ele conhece a trilha da formiga negra que carrega uma folha picotada na noite da selva amazônica. Sabe dos intentos do meu coração trambiqueiro; no trajeto imediato entre o nascedouro da minha fala e sua expressão,
Deus tem ciência perfeita.

Com tamanha familiaridade, como Deus me vê? Com desdém, certamente. Não amadureci como deveria, não subi os degraus da excelência, não atingi um mínimo de prestígio religioso. Chego aos 54 anos com um sentimento do dever descumprido, com a mesma sensação daquele guri que vai para o exame sem ter estudado. Sinto-me como um pirata que jamais descobriu o mapa do tesouro; um Indiana Jones que nunca viu a Arca, um Quixote que nunca abandonou sua biblioteca.

Deus tem todo o direito de me chamar de servo infiel; devo imitar a Pedro: “Afasta-te de mim, que sou pecador". Mereço as chicotadas devidas ao servo que sabia a vontade do seu Senhor e não obedeceu.

Todavia, preparo uma festa com muita bagunça. Quero celebrar o amor de Deus que conquistou esse desdém merecido por mim. A poucos dias do meu aniversário, percebo que o Senhor aumenta o volume de seu megafone celestial. Aposto que ele vai gritar no dia 14 de janeiro: “Você é meu filho amado, estou satisfeito com sua vida”.


As potestades acusadoras do inferno querem impedir a disposição divina de contradizer o castigo merecido - essa disposição tem o nome teológico de graça. Mas Deus insiste, e por três vezes ele diz a mesma coisa a todos os seus filhos adotados por causa do Unigênito: "Você é meu filho amado, estou satisfeito com sua vida".

Assim, livre e querido, estou disposto a retomar as rédeas de minha vida mesmo que o sol já comece a declinar.



Soli Deo Gloria


Texto reportado de www.ricardogondim.com.br .


quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

BOM ANO!!!


Silas Lima

Cristão Protestante


É amigos esse Brasil é estranho, não sei bem ao certo o que esperar dele. Na virada de 2007 para 2008 comecei a pensar. Como será o ano de 2008?

Comecei pensando na política do Brasil, daí me bateu um desanimo, senti-me impotente mediante a tanta corrupção moral, lembrei-me das guerras de partidos que deixa o país a deriva no meio do oceano, onde o interesse deles é maior que o bem da nação, sim, sou a favor de discussões e opiniões diversas, afinal de contas “vivemos uma democracia", contudo entendo que elas não devem nos impedir de agir em favor das questões prioritárias da vida, pois são esses políticos que decidem em boa parte grandes questões da vida de seus cidadãos.

Após essa gigante desilusão com os políticos, olhei para sociedade brasileira em um todo, quem sabe eu encontrasse algo que pra mim desse esperança, contudo no geral vi quase a mesma coisa, a maioria dos cidadãos tem até um nobre discurso, entretanto poucos o transformam em ações de bem.

Então pensei: Será que não há esperanças boas para 2008? De repente lembrei-me das crianças e das pessoas de bem que agem em prol da vida, vi que são poucas, mas acredito na força do bem, percebi essas pessoas tem feito diferença na sociedade e isso tem mostrado a muitos, que o amor ao próximo é crucial para sermos realizados na vida, daí então achei um ótimo motivo pra te dizer. BOM ANO!!!

Feliz ano Novo.

A vida é bela e a idéia é bela.

silaslima@valoresdavida.com

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Eu ouvi e é bom! - da semana


Musica escolhida por Silas Lima

Aline Barros
Soube que me amava

Desde o princípio quando com você sonhei
Desde o momento em que os meus olhos levantei
Desde esse dia em que sozinha eu estava
Foi quando o seu olhar com o meu se encontrou

Soube que me amava, entendi
Soube que buscava mais de mim
Que muito tempo me esperou, então cheguei

Soube que me amava, entendi
Eu já não podia resistir, e com um beijo e com amor
Te entreguei meu coração, me apaixonei

Estou aqui (segunda vez)

E quando longe eu estava
Percebi que o teu carinho e o teu amor
Eram pra mim como um sussurro
Ouvi tua voz no meu silêncio
Me chamando cada dia mais pra ti



quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

O querer e a pureza


Silas Lima
Cristão Protestante
Hoje em dia, existem prazeres e poderes tão sedutores que fazem os homens perderem a cabeça. Às vezes a fissura é tão grande que o homem perde o controle de si.

Todos estão sujeitos aos prazeres e poderes e ninguém vai passar pela vida, sem ser derrotado no mínimo uma vez pelo desejo, ou seja, todos vão errar nessa vida.
Por isso não venho lhe cobrar perfeição, já descobri que isso só existe em outra dimensão, só quero jogar uma idéia que vai diminuir as conseqüências de seus erros e te tornar cada vez mais preocupado em quebrar o mal em sua raiz.

Saiba que a verdadeira pureza não é baseada em conquista, mas em graça. A força que te torna reto é o querer.

Ser puro, reto ou santo é graça, não mérito.