sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Eu li e é bom! - da semana

Texto escolhido por Silas Lima


Fabrício Carpinejar - Preito aos meus amigos.



O amigo é aquele que tem todos os motivos para desistir de você e não desiste. Você fez por merecer a separação. Exagerou. Afastou o abraço, gritou que ele não o compreende. Mas o amigo entende até na incompreensão. Aguarda entender.

Eu preciso de um amigo que não me renuncie quando já desisti. Que me lembre de não desistir. Que seja insistente como o esquecimento dos velhos. Que desperte o meu humor no desespero, que se desespere com a ausência de notícias.

Um amigo que não numere as páginas do livro. Toda página pode ser a mesma. Um amigo que sopre meu rosto perto de sua boca, como uma gaita de mão. Um amigo capaz de esconder seu amor para proteger a amizade e de me aconselhar a seguir o que ele tinha vontade.

Um amigo que desconheça minha infância para repeti-la, que conheça minhas dores para não tocá-las, que assobie minha alegria para alardeá-la. Que não me torture com os meus defeitos. Que me perdoe por não ser como ele. Aliás, que me agradeça por não ser igual a ele.

Um amigo que não use meus segredos para ganhar outros amigos. Um amigo que abra o vidro do carro para apanhar o resto do céu. Que cante alto no volante no momento em que ansiava pelo silêncio e me obrigue a dispensar a timidez para desafinar junto. Na estrada, o vento também canta de olhos fechados.

Um amigo com cheiro de cortina. Isso: cheiro de cortina, com a experiência de enrolar várias e várias vezes o corpo na cortina. E que tenha recebido beijos dos pais com o tecido arregalado no rosto. Quem se escondeu na cortina deu giros dentro de si e de seus problemas e aprendeu a regressar.

O amigo do primeiro desejo, não do último. O amigo que não me espera no recreio, o amigo que me espera no final da aula. O amigo que é a haste do mar, que não fica de pé no barco, para não desequilibrá-lo.

Não quero um amigo que fuja na primeira ofensa, que se isole ofendido num canto, amarrado no orgulho, condicionado às palavras. Um amigo que não fale por mim, que fale através de mim. Não quero um amigo que me ofenda porque não atendi suas expectativas.

Amigo não tem expectativa, tem esperança. O amigo vai procurá-lo não sendo necessário. Vai aumentá-lo enquanto está diminuído e vai diminuí-lo para preveni-lo da ambição.

O amigo é do contra ao seu lado. O amigo dirá as verdades por respeito, não se eximirá de opinar, tudo com zelo e contenção. Não abandonará a corda da pandorga ainda que ela sirva de fio telefônico para chuva.

Tive amigos que se fecharam, desapareceram, que me trocaram por uma fofoca, que chegaram à porta e recuaram ao portão. Esses amigos não foram amigos, se é amigo só depois da amizade. Depois de sofrer com a amizade.

O amigo é como um irmão, que se briga feio, se discute aos pontapés e palavrões e volta a se falar.
Volta a se falar porque é irmão.

O amigo sempre volta. Pensando bem, não volta, nunca saiu do lugar.

Ele é a rua que atravesso para chegar em casa.


valoresdavida@valoresdavida.com

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

O olho do observador


Marcos Brito
Cristão Protestante

Por um instante, num piscar de olhos, volto meu pensamento a Deus, depois de ouvir barbarias a respeito de sua palavra distorcida por fanáticos religiosos.
Por um instante, me senti debilitado, fraco, insignificante, pobre e miserável, sem entender o porquê do ódio nos corações de homens que se dizem santos imaculados.
Vi o ranger de dentes, não sei mais quem é o inimigo, que mundo e ensinamento estamos construindo, qual a nossa religião, se cristianismo é amor, então porque amaldiçoamos, quando deveríamos abençoar? Por que matamos se deveríamos dá vida?
Estive recentemente de férias, e ao visitar meus pais, passei um tempinho lá, alguns anos atrás, tinha visto certos abusos de autoridade em relação a lideres religiosos, mas achava isto normal, pois quem sou eu para julgar alguém! Só que, desta vez, fiquei estarrecido com os mesmos, vi a maneira como eles tomam o lugar de Deus para julgarem, e até matam em nome de Deus, é isso mesmo que você ouviu! Matam mesmo.
Um ano atrás, com muita revolta, ouvi como eles mataram um pastor, que, num possível deslize de seu filho que também era pastor, foi assassinato, com palavras e acusações, covardemente por homens sanguinários, de tanto acusarem, não satisfeitos por expulsarem sua família da cidade acusaram-no até ele ter um infarto.
Mas, o que mais me chamou a atenção, foi um ano depois, a audácia de como eles batiam no peito e se achavam servos de Deus por estarem limpando a igreja de pecados com as próprias mãos, quase que dizendo assim;
- Nos somos muito bons, olha só, Deus deve estar orgulhoso de nós.
Queridos, isso é gravíssimo, isso é vergonhoso até comentar, num lugar que deveria servir como um hospital para os doentes, estão matando gente sem dó, e sem direito à misericórdia, eu não acredito que Deus esteja no meio desse negócio, me desculpem, não é o mesmo Deus que cristo veio nos apresentar, e eu me recuso a servir esse tipo de deus, se céu é ter lá um microfone onde existe um sujeito falando certas baboseiras, desculpem, to fora, não quero fazer parte de assassinatos em massa.
Isso são vidas ceifadas, com bombas lançadas por aqueles que se dizem cristãos, poderia falar também como eles fazem o espírito santo de empregado, mas não quero me deter até esse ponto, já narrei o enredo pra pinçar com vocês, algumas pequenas coisas.
Talvez alguém diga que também estou julgando, mas a verdade estou denunciando, porque o sangue que corre em minhas veias, não é só cristão, mas também protestante a tudo aquilo que é abuso e que é errado, também erro e muito, mas não ando matando ninguém por ai em nome de Deus, porque se não, também vou ser julgado com a mesma moeda.
AOS CRENTES
Meus irmãos, que possamos ser amáveis, assim como cristo foi conosco, a bíblia diz que os pensamentos que Deus tem a nosso respeito são de paz, Deus quer nos dar paz, e não sente prazer nem na morte do ímpio, e o seu desejo é que todos possamos ser salvos, a nossa missão é abençoar, e não destruir ninguém.
AOS AMIGOS DE OUTAS RELIGIÕES OU LIVRES PENSADORES
Queria dizer a todos, que isso não é cristianismo, é fanatismo, reino de Deus está longe disso ai, esse negocio de comprar benção, esses escândalos envolvendo gente do meio evangélico, isso não tem nada a ver com o reino, ainda existe pessoas sérias, e igrejas comprometidas com a verdade.
Quero acreditar que ainda exista salvação pela graça de Deus, me ajude a acreditar que não estou ainda nas mãos de pecadores, Deus, me ajude, me faça acreditar, que posso ter paz em meio a tanta desordem, me visite nas horas de solidão, não me faça acreditar, que a dor é a inspiração do poeta.



“Em memória do pastor que não morreu, foi assassinato, covardemente. A mesma multidão que diz: salve, salve, é a mesma que grita: crucifica-o, crucifica-o.”


Consumatum est.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

É a vida continua

Silas Lima

Cristão Protestante


Poxa vida, existem momentos de nossa vida que são tão bacanas, momentos que graças a Deus nunca vamos esquecer, momentos que vão ficar em nossa memória até nossa partida e que com certeza vamos partilhar dele com nossa geração e as próximas.

É óbvio que na vida existem momentos maus e inesquecíveis, contudo os momentos bons são tão gostosos de ser relembrados, sinto tanta saudade da minha infância onde em mim havia verdadeira paz e alegria, onde sobre minhas costas não havia pesos que só os adultos provocam. Pouco importava o material, pois 1 real já era o suficiente pra me sentir milionário, valia mais um dia de pique esconde, um dia de futebol ou um dia inteiro brincando com meus colegas do que qualquer outra coisa.

Não quero ser nostálgico, sei que igual a todos, estou passando pelo processo natural da vida, conhecimento e responsabilidades vão aparecendo e nos preenchendo, entretanto luto pra manter dentro de mim a inocência da infância aliada aos meus conhecimentos na hora de agir.

A inocência é nobre não a deixe ser pisada pelo desejo do poder e do prazer.


A vida é bela e idéia é bela.